Claudio Marcellini

Inclusão Digital e Empreendedorismo para o Brasil

Página 2 de 23

O preço da vontade e da teimosia…

O preço da vontade e da teimosa…

A Teimosia. No passado, pesquisadores experientes e com uma vida dedicada a pesquisas e soluções em vacina para saúde dos seres humanos, tentaram captar verba com governos de diversos países, o objetivo seria financiar a cura para o coronavírus que um dia poderia aparecer.

Muitos países, inclusive países ricos, acharam caro e que era algo desnecessário.

Caro? Isso mesmo. Mas como alguém que não é cientista, pesquisador, pode achar caro uma vacina para um vírus?

Pode parecer piada, mas isso foi real, e o caro, se mostrou simbólico diante dos trilhões de dólares que estão sendo gastos apenas no início para conter a pandemia.

A Vontade. Vejo este mesmo exemplo no dia a dia de micro e pequenos negócios de países em desenvolvimento, em particular no Brasil. Não somente por ser um país grande e com diferenças das mais diversas entre uma região e outra, mas seguramente por ter em sua base cultural a condição de pensamento individual do “não preciso, eu sei tudo”.

É natural que uma grande parte da população sonhe em ser dona do próprio nariz, ou seja ter um negócio próprio e isso é positivo, mas adianto que empreender é para poucos e não para todos. Empreender exige preparo, consistência e inúmeras condições antes da vontade de empreender. Em duas décadas, vejo mais do mesmo, o sujeito teve uma ideia, geralmente incremental sobre um negócio convencional. Possui alguma experiência, geralmente como funcionário de alguma empresa do mesmo setor, em outras o cargo foi conquistado por amizade ou política, sem qualquer meritocracia. Com um capital limitado, cheio de vontade em montar um negócio próprio, ele abre a empresa, e sem um planejamento consistente que deveria elencar ao menos 60 tópicos, ele começa a sonhar com clientes e faturamento. Investe muitas vezes mais do que pode ou deveria, consome muitos paliativos. No fundo ele já entende e percebe muita coisa, porém não aceita.

Uma vez, assisti um documentário sobre o Tesla, de quem virei um fã, e quando ele demonstrou um dos seus experimentos que estavam 50 anos(duas gerações) a frente de sua época, um suposto investidor que não tinha capital, foi o único do grupo a tecer críticas e disse – “ eu não entendi, pra que serve isso, não tem sentido” , o experimento no caso era algo que conhecemos hoje como sinal wi-fi(isso há 110 anos), e Tesla calmamente respondeu – “você entendeu, apenas não quer aceitar”, esse investidor faliu 2 anos depois e cometeu suicídio na quebra de 1929).

Entender é algo muito diferente em relacao a aceitar. Aceitar é ser humilde e querer ir mais longe, em resumo.Evitar medir os outros pela sua própria régua poderá facilitar esse processo. Deixar o melindre de lado também.

A vontade, a coragem de empreender é algo único, chega a ser mágico, é o estalo da saída da inércia e o início de uma jornada para algum lugar. Os primeiros 100 metros são fáceis, os 200 também, a superação de 1 km nos enche de alegria, mas o mundo e a jornada são muito maiores. Inevitavelmente sem preparo você não concluirá sequer a sua primeira maratona.

O que tento dizer aqui de forma simplificada, e através de analogias, é que para você continuar indo em frente ou mesmo manter o seu pequeno negócio, você precisará de muito mais do que vontade ou de seu conhecimento específico em um ponto do seu negócio. Você vai precisar aceitar. Aceitar que o mundo mudou, se você vender ou comprar paliativos o seu fim estará cada vez mais próximo. Estamos na Era de comprar e vender resultados e fazer a diferença. Pensamento de longo prazo e sempre coletivo. Você não vai conseguir ser o seu advogado, o seu contador, o seu marqueteiro, o seu…., foque que naquilo que você sabe fazer e se cerque de profissionais e parceiros que possam suprir as suas deficiências, mas antes você precisa aceita-las.

Lembre-se, negócios não são como futebol, que você pode ganhar, perder ou empatar. Nos negócios, ou você desiste e perde, ou você continua e perde mais(tem pessoas que preferem deixar a solução passar por 10 e gastar 200 ao longo do tempo sem solução, vivemos esse exemplo na Covid-19 e sua vacina que ficou no tempo), ou você ganha.

O pior dessa pandemia, ainda está por vir, ela está moendo o sistema. Se você não for aposentado, pensionista, servidor público, se prepare. Por outro lado, veremos muitas inovações, os fracos caíram, os fortes e inovadores seguirão em frente assim como sempre foi na história da humanidade.

A escolha é de cada um.

Qual será a sua?

 

Cláudio Marcellini

Calúnias e difamações na internet – Cláudio Marcellini VTV SBT

Empreender é fácil?

Melhores oportunidades em época de covid19 – Transformação Digital

Garantias de montar um Negócio Próprio

 

A Terra é uma esfera, dependendo do ângulo que você a observa, qualquer lugar pode se tornar o centro

A verdade e a parábola

Livro – Empreender & Apreender com a Internet, baixe já

https://www.amazon.com.br/Empreender-Apreender-internet-Claudio-Marcellini-ebook/dp/B07D3664X6/ref=mp_s_a_1_1?keywords=claudio+marcellini&qid=1584473214&sr=8-1

Não perca o seu tempo com gente Frustrada(3 Tipos, click e assista)

https://www.youtube.com/watch?v=sJkti17J0FE

Cláudio Marcellini – Dicas para Reflexão

Dicas para Reflexão

Um dos maiores erros ao desejar adquirir um negócio ou franquia, ou mesmo montar um negócio próprio, é utilizar-se desse ou daquele indivíduo, ou de informação superficial como referência máxima.

1-Pesquise com atenção e discernimento
A internet assim como as folhas de papel, aceitam qualquer coisa, mesmo já existindo regulações. Basear-se em informações superficiais, e sem uma consulta detalhada da fonte pode iludir, isto é, negativamente ou positivamente um “empreendedor” iniciante.

2-Um negócio que deu certo para um, pode não servir bem para outro
Um negócio que deu certo em uma região, pode ser um fracasso em outra. Utilizar-se de uma referência muito positiva, pode ser um tiro no pé, assim como se utilizar de uma referência negativa. A melhor referência para o seu negócio será você mesmo, pois afinal quem fará o negócio acontecer é você o dono do negócio, e não aquele que teve sucesso no Sul do país, ou tampouco aquele que fracassou no Norte.

3-Só você conhece a sua vida e possui consciência de suas limitações
Quantas pessoas lhe conhecem de fato? Costumo dizer que apenas o cônjuge nos conhece, e em alguns casos nem isso. Preocupe-se com a sua consciência e com a capacidade de execução dos seus projetos. O que pensam, dizem ou podem dizer sobre você, é irrelevante., afinal estes não pagam as suas contas ou vivem a sua vida.

4-Identifique princípios
Ao montar um negócio com sócios ou adquirir uma franquia, verifique se os princípios e objetivos destes parceiros possuem sinergia com os seus. Não adianta você comprar uma franquia ou montar um negócio, com sócios e parceiros que desejam trocar de carro ou ir a Paris enquanto você deseja reinvestir no negócio. As vezes o que significa prosperidade ou felicidade para você, pode não ser para o outro.

5-Analise a história
Empresas que possuem altos e baixos e se mantém em funcionamento possuem melhor musculatura para suportar desafios e crises em relação a empresas que acabaram de surgir. A experiência prática é um grande ativo no mundo dos negócios.

6-Não tenha medo e encare de frente os problemas
Não tenha medo dos problemas, encare os desafios. A única coisa que nasce grande e fica pequena com o tempo, são os problemas. As maiores empresas e os maiores empreendedores de qualquer época, são geralmente aqueles que possuem os maiores problemas, reclamações ou processos. Montar e manter uma empresa, é também colocar o “bumbum” na janela, um alvo fácil. Enfrente, e em breve os seus problemas e desafios, estarão ao seu favor.

7-Conheça primeiro o seu país
Se você pensa em realizar a expansão nacional do seu negócio ou possui ambições de possuir um negócio para atender todo o Brasil, sugiro que antes de se preocupar em viajar e postar fotos em redes sociais em lugares que eram luxo há décadas atrás e hoje são populares (Miami, Paris, Buenos Aires, Punta del Este, etc…..), conheça o Brasil . O Brasil é um país lindo, grande e um dos mais populosos do planeta, com diferenças culturais e sociais imensas, sugiro que pesquise e visite ao menos as capitais antes de pensar em tirar fotos em Nova Iorque, depois se puder, visite também Alter do Chão, Jalapão, a Serra Gaúcha, Maragogi, Rio Quente, a diversidade e beleza são enormes, poucos lugares no mundo possuem tantas riquezas e diferenças.

8-Nós somos mais felizes quando não temos muitas ilusões. Use a razão.

“A vida não é esperar a tempestade passar, mas aprender a dançar na chuva”- Anônimo

Boa sorte

Cláudio Marcellini